sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Rua Capitão José da Luz, 87




Veja como
era a copa
da árvore.

Clique aqui
e veja o mapa

ampliado












Veja como
ela ficou antes
de ser totalmente
arrancada do local.
Clique aquie veja a foto
ampliada.









Já comentei sobre essa árvore semana passada,quando a estavam cortando, mas não tinha tido oportunidade de mostrar imagens do ocorrido.

Recapitulando: uma árvore da espécie Terminalia catappa- conhecida popularmente aqui no Recife como "Castalhola"ou "Coração de Negro" - , foi removida da calçada em frente a um imóvel na rua Capitão José da Luz (ver indicação em vermelho na fotografia aérea do Google Maps).

É possível perceber, comparando as imagens, a copa frondosa que possuía a árvore e o que sobrou da mesma, antes de sua total remoção do passeio público.Isso aconteceu na sexta-feira da semana passada, oito dias atrás.

Liguei para a Brigada Ambiental, que é uma espécie de polícia ambiental vinculada à Guarda Municipal da Prefeitura do Recife. Informei o ocorrido e na mesma tarde em que fiz a denúncia, fui informado que após uma visita ao local, a brigada constatou que os responsáveis pelo imóvel tinham uma autorização e que a remoção estava sendo feita pela própria prefeitura.

Aparentemente a remoção se deu para deixar a área de calçada do imóvel livre para o acesso de carros ao estacionamento (fato infelizmente, muito comum na nossa cidade).Falei "aparentemente", porque o pessoal da brigada não soube explicar o motivo, só disseram que o corte estava autorizado.O imóvel está em reforma e no local vai funcionar um escritório de advocacia, segundo informou um flanelinha da área. O curioso é que antes já havia funcionado outro escritório de advogados exatamente no mesmo endereço, sendo que estes parecem nunca terem se incomodaram com a árvore.A brigada informou que a prefeitura vai "repor", replantar, outra árvore nas proximidades. Deviam sim, fazer um plantio mais generoso, haja visto a pequena quantidade de área verde nas calçadas daquela via.

Outra curiosidade: A árvore foi cortada e ficou no estado que pode ser visto na foto, da sexta-feira da semana passada (21/10) até última quarta-feira(26/10), cinco dias depois. Os troncos e galhos ficaram espalhados pela calçada durante esse período, dificultando o acesso de pedestres. Em geral, quando isso acontece na frente da casa de um cidadão comum, o mesmo é responsabilizado pela retirada dos entulhos e multado, caso não o faça. Já a prefeitura pode demorar, porque ninguém vai multá-la mesmo...

.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Curso de cultivo ecológico de hortas e jardins em pequenos espaços








Foto meramente
ilustrativa, retirada
do blog "Mylife".








(enviado por Simone Miranda via e-mail )

A próxima turma do curso acontecerá dia 29/10 (sábado).

Venha aprender a cultivar de forma ecologicamente correta
TEMPEROS, FLORES, HORTALIÇAS E FRUTÍFERAS
Em casa e pense na possibilidade de ter
A seu alcance flores e alimentos saudáveis,
Livres de adubos químicos e agrotóxicos,
Além de lhe proporcionar
Uma bela atividade terapêutica.


DATA: 29/outubro (sábado)

HORÁRIO: das 9h às 12h (aula teórica)
das 13.30h às 16.30h (aula prática)

LOCAL: INTEGRE - Centro de Evolução
R.Manoel de Carvalho, 93 - Aflitos (por trás do clube Náutico)

VALOR: R$ 100,00
(este valor inclui o material da aula teorica - apostila - e da aula prática - mudas, sementes, vasos, adubos orgânicos etc).



Contato:
Simone Miranda
agrônoma, com pós-graduação em agroecologia.

(81) 8506-6949 / 3036-6248 (à noite)




.



.

Especulação imobiliária quer destruir Santuário dos Pajés, em Brasília/DF

"O Santuário dos Pajés, comunidade Fulni-o Tapuya, fica localizado em Brasilia- DF, nas proximidades da Asa Norte, área da reserva do Bananal. Neste local, há mais de 40 anos, instalaram-se várias famílias de grupos étnicos, oriundos em sua maioria do estado de Pernambuco e outras etnias do próprio Planalto Central.

Em 2007 em um ato de legalidade duvidosa, o governo do DF vendeu a área para construtoras edificarem um novo bairro classe média alta, o chamado Setor Noroeste, ignorando completamente a reserva e a dignidade das famílias que moram na região;Desde então uma briga judicial, cercada de controvérsias e suspeitas de corrupção vêm se arrastando, sem que seja adequadamente divulgado pela mídia local. Antropólogos, estudantes e sociedade civil organizada, acampam na área atualmente e tentam de todas as formas divulgar o que está acontecendo."

[ André Trindade, via Facebook ]



video

Acima, entrevista sem cortes do professor de antropologia da universidade de Brasília, José Jorge, que aumenta os argumentos para não construção do Setor Noroeste.

Fiquei sabendo do assunto através de amigos, pelo Facebook.
Nem os índios escapam da ganância da especulação imobiliária!
Parte da vegetação de cerrado, nativa da região também foi destruida.


Fique por dentro do assunto:

Blog Santuario dos Pajes
http://santuariodospajes.blogspot.com/


Veja o documentário "Sagrada Terra Especulada", que narra um período de lutas contra o Setor Noroeste, bairro de alto luxo que a especulação imobiliária do Distrito Federal tenta construir a qualquer custo:
http://vimeo.com/28597529


Matéria da Folha de São Paulo:

CMI Brasil:

Diario Liberdade:



.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Menos árvores, com autorização da Prefeitura do Recife



Eles se dizem
preocupados
com o meio
ambiente, mas
derrubaram
três Castanholas
da calçada da rua,
quando o hospital
ainda estava
em obras.

Clique na
imagem
para
ampli-a-la.




Acabaram de derrubar uma Castanhola aqui perto, na rua Capitão José da Luz, no. 87 (Ilha do Leite), onde estão reformando uma casa para um escritório de advocacia.

Liguei pra Brigada Ambiental e eles foram checar a ocorrência. A pessoa que me atendeu foi super gentil, pois tomou nota do meu telefone e me retornou para dar notícias (ruins).

O escritório tinha sim, autorização da prefeitura e esta vai plantar outra árvore nas proximidades. Quer dizer que a prefeitura do Recife dá autorização pra tirar árvores
saudáveis para dar espaço a estacionamento? Que absurdo, não amigos/as?

Pior aconteceu com o novo hospital da UNIMED, também aqui na Ilha do Leite, que cortou 3 (tres) Castanholas (clique aqui pra ver postagem anterior, onde eu falei sobre isso), só que não foi pra dar espaço pra estacionamento, como eu pensava no início. Foi sabe-se lá porque... No lugar, tentaram plantar umas mudas bem crescidas que pareciam se de Ipês, pois quase não tinham folhas, o que dificultava a identificação e já eram bem altas (mais de 2 metros) Não vingaram. Agora, plantaram o que está pacecendo ser Bauhinias blakeanas, ou seja, nada que vá substituir a sombra que as castanholas davam, pois as citadas árvores são usadas mais com finalidade decorativa em jardins.

Mas a propaganda que esse novo hospital está veiculando nos jornais locais (ver imagem acima) tem a intenção de mostrar que eles se preocupam com o meio ambiente. Vai entender...



.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Grafitagem para protestar contra cortes de árvores.

















Uma forma ao mesmo tempo criativa e impactante de denunciar o corte de árvores nas ruas das nossas cidades.

O projeto é do grafiteiro Armando Fontes e da fotógrafa Cátia Rissi. Eles criaram um blog onde são publicadas as intervenções/protestos desenhados pelo artista.

O projeto chama-se Chalk Outline Tree e as fotos podem ser vistas acessando o blog deles. Lá também é possível ver o artista em ação, durante uma grafitagem que teve a cobertura
televisiva da Rede Bandeirantes para um jornal local ( Belo Horizonte / MG).

Grande idéia :)



.