segunda-feira, 19 de setembro de 2011

"Macacada" municipal, estadual e federal






Imagens retiradas
do Jornal do Commercio
de 15 de setembro
de 2011.


Clique nas
imagens para
ampli-a-las.













Então, pra
que existe
IBAMA se
a sua opinião
não é levada
em consideração?










Eu já havia comentado aqui - há mais de dois anos - sobre o absurdo que é, manter os 45 animais silvestres (quantidade informada em matéria do Jornal do Commercio) no Parque 13 de Maio,
em pleno centro do Recife. Quem quiser conhecer os motivos da minha revolta, basta clicar aqui e ver o post publicado em fevereiro de 2009.


Resumindo, eu me referia basicamente ao lugar inapropriado para essa finalidade, o tal parque, situado numa das áreas de maior movimento do centro do Recife. Lá, os animais são submetidos a poluição sonora (de automóveis, ônibus, motos e até eventuais shows religiosos, com altos
decibéis), poluição do ar, assédio de visitantes que nem sempre são observados/monitorados por funcionários do parque.

Agora com esse episódio do macaco Chico, que ficou foragido por cerca quatro dias, ficou constatado que além de falta de conforto, também falta segurança para aqueles animais. Segundo matéria publicada no jornal citado no início desse texto, comenta-se que falta até mesmo cuidados adequados por parte de tratadores, veterinários, etc.

Outro problema que ficou visível nos dias em que o animal esteve solto, foi o desprepado do poder público para esse tipo de situação, através dos órgãos que se envolveram na tentativa de capturar o primata. Despreparo e falta de interatividade entre alguns setores da administração pública.

Em dado momento, os bombeiros não fizeram a captura porque não chamaram a empresa de energia para cortar a eletricidade que comprometia a segurança dos mesmos. Em outro, não contou com a ajuda da companhia que controla o trânsito para fechar o acesso a uma rua e evitar que o macaco pudesse ser atropelado, numa tentativa de funcionários do IBAMA de capturá-lo no solo.
A veterinária do parque, por sua vez, além de não saber da existencia da Brigada Ambiental - policia especializada da guarda municipal - que tambem poderia ser acionada, ainda teve uma idéia que podia por em risco a vida do animal: misturar tranquilizante à comida do animal poderia fazêlo cair quando estivesse dormindo em uma árvore.

Pra fechar com chave de ouro e desmoralizar os profissionais que "cuidam" dos animais do parque, o bichinho acabou sendo capturado com a ajuda de uma uma antiga frequentadora do parque e amiga" do chico, a manicure Girlene Maria da Silva, que o atraíu ( e traiu?) chamando-o pelo nome e oferecendo-lhe pipoca.

Outro fato que me deixou de cabelo em pé, foi essa revelação, publicada no jornal de que os animais estariam mantidos naquele parque há tempos, sem a autorização do IBAMA (cadê a "moral"do IBAMA?)! Quando eu publiquei o meu post, em 2009, cheguei a conversar informalmente com uma pessoa do IBAMA e a mesma me disse que aquele órgão não retirava os animais do parque, porque não tinham lugar para onde enviá-los e mantê-los em segurança e conforto, já que os mesmos não tem mais condições de voltar a viver em liberdade, no seu habitat natural.

Considerando os fatos que ocorreram na semana passada, podemos imaginar que além disso, existe falta de interesse político para arranjar um lugar decente para os bichos.
Talvez se algum vereador ou deputado propusesse uma emenda que permitisse que os bichos votassem, quem sabe os políticos não olhassem pra eles com mais "interesse", digo, carinho e até mesmo respeito? Merecer, eles merecem.


Clique aqui para ler "on line", matéria no blog da colunista
Verônica Falcão, do Jornal do Commercio.





.

2 comentários:

Gina disse...

Extremamente oportuno o seu comentário; o parque 13 de Maio fica no coração da cidade, ponto central de poluição, os animais ficam mais expostos que o próprio Zoo de Dois Irmãos, que pelo menos tem uma área verde maior.
Será que agora vão tomar alguma providência decente?

Plante Árvores disse...

Tomara que sim, Gina, tomara...